segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O Homem de Ébano - Da série "Sonhos são esquisitos, idiotas e me apavoram."

Eu tenho um sonho recorrente, mas fazia tempo que ele não acontecia. Porém noite passada ele voltou e eu lembrei da frase da personagem de Neil Gaiman, Rose Walker, em "The Sandman": "Sonhos são esquisitos, idiotas e me apavoram.". resolvi tentar escrever sobre ele como tentativa de tira-lo do meu catalogo de sonhos inoportunos.

Desculpem companheiros que se dão ao trabalho de ler as leseiras que escrevo, mas o meu sonho é o que tem para hoje!

Pois bem, sem mais delongas, em meu sonho inoportuno, eu acordo em uma grande cama do tipo que só existe em livros ou filmes antigos e diante de mim há um homem de ébano de costas para mim olhando através de uma janela gigante uma cidade antiga ou recente que repousa sob um céu no qual uma Lua reina como um tipo de divindade antiga.


No fundo da minha mente eu sinto que a criatura que contempla a Lua tem alguma importância para mim e a reciproca é verdadeira.  É como se eu soubesse algo de sua história, dos seus segredos, dos seus medos ou como se ele fosse outra parte de mim... Sei lá, talvez seja, talvez Freud explique...

No entanto, o certo é que de repente eu não consigo mais ficar parada contemplando apenas e o vento quente que chega pela janela me incomoda no meio de tanto pano e então me remexo na cama incomodamente grande e é o que basta para o outro se volta para mim...

E o "se voltar para mim" do outro é o que basta para o sonho se desvanecer... levando embora o quarto saído de um conto árabe, a Lua, a noite e o próprio homem de ébano... E ai é o de sempre: acordo, abros os olhos, confiro a hora no celular, desligo o ventilador, um dos incomodo necessário a quente noite recifense, levanto, escovo os dentes, tomo um banho, visto a roupa, tomo um café, faço a digestão de meu mau humor matinal e comunico ao mundo, nem que seja através de uma rede social, que "sonhos são esquisitos, idiotas e me apavoram".

7 comentários:

  1. Jaci, quando vi o tuíte lá eu já esperava pelo post aqui! Eu tenho muito medo de sonhos recorrentes, tinha um em particular na adolescência que me incomodava muito, ele era ambientado na fazenda onde meus avós moravam, eu estava brincando, no sonho era criança ainda, e tinha a nítida sensação de ser observado, até acordar aos berros. Nunca mais aconteceu de sonhar este sonho, ainda bem.

    Pessoalmente eu durmo muito mal em noites quentes - o que quer dizer que venho dormindo muito mal nos últimos meses - ventilador me incomoda, janela aberta nem pensar, então mais me remexo que efetivamente durmo, e quase nunca me lembro se sonhei...

    Ah, continue narrando seus sonhos, quem sabe uma hora ele tem uma continuação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, ultimamente eu tenho padecido um pouco para dormir também, minha irmã só dorme com a porta do quarto fechada... é uma abafado terrível, dois ventiladores não dão conta acredita?!?! Enfim... verão, eu amo o sol, o azul do céu, mas tem seus ônus... queria morar em um lugar no qual desce para deixar a janela aberta!

      Excluir
  2. Que inveja... queria ter um sonho assim, para chamar de meu.

    ResponderExcluir
  3. São esquisitos, mas tinha lua!
    Há tempos não tenho sonhos assim com detalhes.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, eu vivo olhando tanto para a Lua que é até fácil sonhar com ela. rsrsrs... Que bom!!!

      Excluir
  4. Esse foi um sonho muito romantico. Eu tb já sonhei que a lua tinha algo a ver com uma divindade só que era diferente deste teu sonho. Todo mundo ficava correndo atrás dela para saber o que ela queria fazer. o tempo todo parecia que algo ia acontecer, e muitas pessoas pensaram no apocalipse.

    ResponderExcluir

Esse blog não representa um exercício de escrita, ele é um exercício de memória, de lembranças e esquecimentos. Funciona como uma caixa onde guardo coisas, sinta-se livre para comentar, mas saiba: comentários sem relação com o post serão excluídos por respeito a quem comenta de verdade.